Como ensinar educação financeira para crianças?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
educação financeira para crianças

Você já pensou que poderia ter aprendido educação financeira quando era pequeno? Se isso fosse ensinado nas escolas, teríamos menos dificuldades na vida adulta, não é mesmo? Mas, enquanto isso não acontece, é fundamental que os pais expliquem educação financeira para crianças. 

Essa não é uma tarefa fácil, principalmente porque muitas pessoas acreditam que dinheiro não é assunto de criança. Porém, quando elas crescem sabendo a importância de poupar seus ganhos e o esforço para conquistar um valor mensal, elas têm mais consciência e tem mais chances de se tornarem adultos independentes financeiramente, com a segurança de que precisam para investir todos os meses. 

Quer que seus filhos tenham esse futuro? Então, está lendo o texto certo! Saiba como ensinar educação financeira para crianças de um jeito didático e fácil de aplicar no dia a dia!

Permita que a criança participe de decisões financeiras 

Para que seu filho entenda que as finanças fazem parte da rotina de uma pessoa, é importante que esse assunto seja inserido no dia a dia dele. O jeito mais prático de fazer isso é permitir que ele participe de algumas decisões financeiras. 

Por exemplo, quando precisar levar o pequeno ao supermercado, mostre a sua lista de compras e aponte a quantidade de cada item que será comprado. Peça que ele te ajude na escolha dos produtos, para que o valor total da compra não ultrapasse o orçamento. 

Outra forma bem legal é dar opções para ele. Pergunte se ele prefere ir ao cinema com a família ou passar a tarde na sorveteria. Assim, ele vai compreender que os dois passeios custam dinheiro e que ele precisará fazer uma escolha, pois não é possível ter as duas coisas. 

Explique o valor do dinheiro 

Como estamos cada vez mais acostumados a usar cartão de débito e crédito, ficou difícil explicar o valor do dinheiro para os pequenos. Para eles, aquele pedacinho de plástico significa uma fonte infinita de renda, que eles não sabem muito bem de onde vem. 

A educação financeira para crianças é essencial para resolver essa dúvida. O primeiro ponto, e talvez um dos mais difíceis, é evitar dar tudo que a criança pedir. Crianças que ganham brinquedos sempre que vão ao shopping acreditam que podem ganhar tudo que querem. 

Sendo assim, é papel da família mostrar que o dinheiro é resultado de trabalho diário. Por isso, o salário deve ser utilizado com responsabilidade. Mostre que o dinheiro não serve apenas para comprar brinquedos e passeios, como também pagar contas e comprar os mantimentos para a família. 

Os brinquedos podem ser dados, desde que sejam por causa de uma data comemorativa, como Natal, Dia das Crianças ou Aniversário. 

Mesada e poupança 

Ao contrário do que muitos pensam, a mesada ou semanada pode ser uma estratégia interessante para ensinar educação financeira para crianças, desde que não pese no orçamento da família. 

Para crianças menores, a semanada é melhor, pois eles não têm uma noção de tempo muito longa. Por isso, podem ter mais dificuldades em administrar o dinheiro. 

O valor não precisa ser alto, mas é importante que você ensine como usar esse dinheiro da melhor forma possível. Se ele quiser comprar um brinquedo ou uma roupa mais cara, mostre quantas mesadas ele precisará juntar para isso. Aqui, vale a pena dar um cofrinho ou uma carteira, pois ver o dinheiro aumentar pode motivar o pequeno a continuar poupando. 

Nesse momento, é fundamental que os pais e os outros familiares não complementem o dinheiro que falta para que a criança consiga comprar o que quer mais rápido. O ensinamento está justamente na arte de esperar e poupar. 

Mostre como definir objetivos 

Você lembra da sensação de receber o seu primeiro salário? Na maioria dos casos, a primeira coisa que fazemos é gastar com algo que nem precisamos muito, não é mesmo?

Assim como os adultos, é comum que as crianças façam o mesmo ao receber sua primeira mesada. No caso delas, esse ímpeto é ainda mais natural, pois elas ainda não possuem as responsabilidades que um adulto possui. 

Quando chegar o momento de oferecer a mesada, pergunte o que a criança deseja comprar com aquele dinheiro. Assim, ela começa a aprender sobre planejamento financeiro e como utilizá-lo de forma mais inteligente. Isso irá fazer com que ela não compre só por comprar, e sim espere para juntar o montante e conseguir algo que ela queira muito. 

Para os adolescentes, vale a pena ensinar como poupar dinheiro ou até mesmo investir. Dessa forma, eles podem começar a guardar dinheiro para pagar a faculdade, comprar um carro, uma casa ou fazer uma viagem em família. 

Coloque as finanças dentro de uma brincadeira 

Crianças aprendem brincando o tempo todo. Para crianças menores, os primeiros ensinamentos sobre educação financeira podem acontecer dentro de uma brincadeira facilmente. 

Pode ser algo bem simples, como brincar que estão indo ao supermercado. Você pode ser o cliente e a criança o atendente. Use a imaginação e pegue alguns itens do armário. Também vale a pena comprar algumas notas de mentira. Também é possível imaginar que estão em uma loja de brinquedos ou outros objetos que a criança goste. Estipule os preços de cada mercadoria e comece a brincadeira! 

Além de aprender mais sobre educação financeira para crianças, também é possível dar uma reforço nas aulas de matemática. Tudo de forma lúdica e divertida!

Ensine os malefícios em desperdiçar 

O desperdício é ruim não apenas no cenário financeiro, mas também em diversos outros aspectos. É essencial mostrar que não devemos desperdiçar alimentos, água e brinquedos, pois cada uma dessas coisas têm o seu devido valor. 

Nesse caso, além de falar sobre educação financeira para crianças, também é importante ressaltar a proteção do meio ambiente e como a reciclagem é uma atividade fundamental na reutilização de objetos.

Uma regra legal para evitar o desperdício é doar um brinquedo que não usa mais sempre que ganhar um novo. O mesmo vale para roupas e outros objetos do dia a dia. 

É importante que a criança saiba que os itens doados irão para crianças que não tem condições de comprá-los. Assim, ela irá aprender a ter responsabilidade social e consumir com consciência, além de praticar a sustentabilidade. 

Viu como é possível ensinar educação financeira para crianças, independente da idade delas? Com as nossas dicas, ficou fácil incluir o assunto na rotina da família. Dessa forma, todos saberão a importância do planejamento financeiro, do consumo consciente e se tornarão adultos mais responsáveis e independentes. 

Quer mais dicas sobre saúde financeira e investimentos? Continue acompanhando o blog e as redes sociais do Grupo DTRADERS!